Joinville. Cidade chuvosa (e pacata) de Santa Catarina parece uma simples cidade querendo mostrar sua cara. Mas não se engane, pólo importante de tecnologia do estado, Joinville produziu empresas como ContaAzul por exemplo. E da mesma mãe (a desenvolvedora Informant), nasceu a startup AsaaS, uma fintech que resolve recebimentos para o micro empreendedor.

Conheça um pouco mais da empresa que aposta na cobertura do boleto para autônomos.

A startup do pequeno empreendedor

Com foco em boletos e faturas, a startup possui milhares de micro negócios que emitem mensalmente boletos bancários para seus clientes. Num sistema robusto de subadquirência, a empresa faz a gestão de recebíveis de: dentistas, profissionais liberais, representantes comerciais, profissionais de tecnologia e prestadores de serviços de qualquer natureza. Todas elas enquadradas em sua maioria, como MEI (Micro Empresário Individual).

asaas

Piero Contezini (co-fundador), Jeferson Kortbein , Diego Contezini (co-fundador) e Fernando Chagas. (Foto: Reprodução Asaas)

Números do AsaaS

  • Volume financeiro: R$2 milhões / mês;
  • Quantidade de clientes: mil (informação Assessoria);
  • Investimento recebido: aproximadamente R$3,6 milhões

A empresa, que foi fundada em 2013, já recebeu quase R$4 milhões de investimento de capital de risco. A última rodada, captada em Junho de 2015, acelerou o processo de crescimento da empresa nesse ano. Boa parte do faturamento da empresa vem da antecipação de recebíveis, característica importante para um sub-adquirente.

A quantidade de burocracia envolvida em credenciamento de cartões, adequação de cobrança bancária para pequenos negócios, faz da estratégia do AsaaS ser vencedora. Bancos operadoras de cartão não conseguem atender essa camada da economia (muito importante) de forma adequada. Essa lacuna é inclusive, uma das maiores oportunidades para o mercado brasileiro de fintechs.

Para o AsaaS, o fim do boleto está bem longe de acontecer.