Ontem, enquanto o evento Assinaturas Day estava em andamento, um fato até então desconhecido pelo 650 presentes, era que uma fusão estava acontecendo nos bastidores.

O evento, que reúne os empreendedores de software e assinaturas no país, recebeu no final da apresentação da Vindi, uma notícia de grande impacto para ambiente fintech no país. Especialmente para o mercado de software e pagamento recorrente.

Foto: Reprodução Assinaturas Day

Rodrigo Dantas, fundador da Vindi (plataforma de pagamento recorrente) chamou ao palco, seu principal concorrente, Maurício Kigiela (fundador do Smartbill) para anunciar a assinatura de um contrato que dará início a uma fusão das duas empresas, que possuem sócios investidores como Astella, Criatec2, Bozano e SP Ventures e que já levantaram juntas, mais de R$7 milhões de investimentos.

Foto: Fernando Silva

Em post pessoalRodrigo detalhou a ideia do acordo. Os dois informaram clientes em comum, investidores e sócios a intenção da fusão 10 minutos antes de subirem no palco. Segundo comunicado aos clientes, nada mudará. As soluções irão atuar numa oferta conjunta para atender desde pequenos negócios até grandes corporações.

O grupo de fintechs formado terá Vindi, Smartbill, Fast Notas (solução fiscal) e o Aceita Fácil (sub-adquirente).

Sobre as empresas

A Vindi foi fundada em 2013, por Rodrigo Dantas e Luiz Filipe. É a plataforma referência em pagamentos recorrentes no país e atende mais de 2.000 empresas. Clientes como Serasa, Multiplus, Smartfit entre outros, usam a solução da empresa para processar pagamentos e fazer a gestão de billing.

O Smartbill foi fundado em 2012 pelo Maurício Kigiela, que foi fundador também do Site Blindado. O foco da empresa sempre foi atender clientes Enterprise e gestão de contratos recorrentes para grandes empresas. A empresa recebeu mais de R$4 milhões em investimentos.